https://deco.casafaricrm.com/ContentFiles/6868/1666695026_0.jpg?quality=80&mode=crop

O que ter em conta na visita a um imóvel?

Quando procura uma casa para viver, está a tomar uma decisão de médio ou longo prazo. Encontrar o equilíbrio entre o que pretende e o dinheiro disponível não é fácil, mas, com algumas concessões, é possível. Na visita ao imóvel, há cuidados que não deve descurar.

A decisão está tomada, vai mudar de casa. Agora só precisa encontrar o imóvel do seu agrado dentro do seu orçamento. Se o imóvel preenche os seus requisitos, mas tem um preço demasiado elevado para si, será melhor direcionar a sua energia para visitas outros mais viáveis.

Observe tudo em detalhe nas suas visitas. No final, pondere os prós e contras de cada opção. Sendo um investimento avultado, todo o cuidado é pouco.

Acima de tudo, evite tomar decisões precipitadas. Mesmo que, logo numa primeira visita, pense que encontrou a casa ideal, visite outras casas e compare. É possível que encontre uma casa maior ou mais bem localizada pelo mesmo preço.

Antes da visita

Antes de visitar uma casa, certifique-se de que consegue conciliar os seus gostos e necessidades com as suas possibilidades económicas. Peça informações e elimine os imóveis que não correspondem a, pelo menos, um destes pratos da balança. Se, para si, é indispensável uma lareira ou uma varanda, é perda de tempo visitar casas sem essas rubricas.

Tenha, no entanto, consciência de que o mais provável é ter de fazer algumas concessões em relação à sua casa de sonho, pelo que é fundamental hierarquizar as suas prioridades.

Faça uma lista com todas as perguntas essenciais, desde o preço, ao interlocutor na venda (particular ou agência imobiliária), à localização, idade e número de andares do prédio, se tem elevador ou se precisa de obras no interior ou no exterior. Procure saber a classe de eficiência energética, a área útil, ou como funciona a administração do condomínio e qual o valor das quotas.

Tenha em conta o número de divisões e área útil da casa, o estado de conservação do edifício e a zona envolvente. Tem escolas? Médicos? Farmácias? Comércio local? Estacionamento e serviços de transportes públicos? Existem condições para que pessoas com mobilidade reduzida se consigam deslocar autonomamente?

Lembre-se que a orientação do edifício, a aparência da fachada e o grau de conservação das partes comuns são, entre outros, aspetos que deve ter em conta na hora da escolha.

No momento da visita

Está agora em condições de marcar a visita às casas que subsistiram após a reunião de todas aquelas respostas. Observe todos os detalhes atentamente.

Verifique se existem problemas de humidade ou fissuras que denunciem falhas de construção. É comum, especialmente em casas usadas, que o proprietário pinte a casa antes de a pôr à venda com o objetivo de esconder esses problemas.

Nas visitas, esteja atento e faça-se acompanhar de outra pessoa que o possa ajudar a identificar problemas. Se estiver perto da tomada de decisão final, faça uma nova visita acompanhado de um engenheiro civil, arquiteto ou profissional da construção que possa dar uma opinião fundamentada sobre eventuais problemas. Pode também contratar um profissional para fazer uma vistoria técnica ao imóvel.

Se, atempadamente, forem identificados defeitos pode desistir do negócio ou, se valer a pena, procurar renegociar o preço.

Apenas se dispensam as visitas se o imóvel ainda estiver em fase de construção ou em planta.

Depois da visita

Visitas feitas, tem agora apenas algumas casas debaixo de olho. Talvez já tenha encontrado a sua nova casa.

Certifique-se da situação legal do imóvel. Se recorrer a uma imobiliária ou mediador de crédito estes tratarão de o verificar.

Peça ainda a documentação relativa à eficiência térmica e acústica do imóvel e evite custos ulteriores. Uma casa com nível reduzido de eficiência energética poderá representar custos adicionais em climatização ao longo do tempo.